As histórias da Filial Estadual do Rio de Janeiro – Petrópolis…

Um bom exemplo das acusações que pesam sobre a Filial Estadual do Rio de Janeiro pode ser obtido em pesquisas simples no Google sobre os escândalos envolvendo a Filial Municipal de Petrópolis. Sempre protegida e autorizada pelo Sr. Luiz Alberto Lemos, esta filial já fez de tudo…

Firmou contratos em outros estados, invadindo território de outras filiais sem autorização;

  • Tem em sua história inúmeras acusações de desvio e malversação de dinheiro público e donativos;
  • Já teve sua intervenção decretada pela justiça – veja no vídeo abaixo a POSTURA FIRME (brincadeira) do presidente da Filial Estadual;
  • Apresentou prestações de contas falsas;
  • Teve funcionário preso por desvio de donativos; Enfim…

Infelizmente, este tipo de encobertamento e proteção só serve para uma coisa: jogar o nome da Cruz Vermelha Brasileira no lixo. E é esse pessoal que almeja assumir a Presidência Nacional da Cruz Vermelha Brasileira. Já imaginou? Bom, se ainda existe alguma dúvida,  disponibilizamos os links abaixo, coletados em pesquisa simples na internet…

Justiça decreta intervenção na Cruz Vermelha de Petrópolis; há suspeita de desvios

E a Cruz Vermelha Filial de Petrópolis foi interditada

Surpreso, o presidente da Cruz Vermelha no DF, tenente-coronel Paulo José, denunciou que a filial de Petrópolis não tem autorização..

FUNCIONARIO DA CRUZ VERMELHA DE PETROPOLIS. E PRESO DESVIANDO ÁGUA DESTINADA AOS DESABRIGADOS

Cruz Vermelha local não tem condições de atuar

DENUNCIA AO MINISTERIO PUBLICO – CONSELHO DE SAUDE DE PETROPOLIS

Enfim, basta dar uma pesquisada… tem coisa que não acaba mais…

As histórias da Filial Estadual do Rio de Janeiro – A criação da filial…

Não são poucas as irregularidades cometidas pela Cruz Vermelha Brasileira – Filial do Rio de Janeiro.

A Filial, presidida pelo Sr. Luiz Alberto Sampaio, sempre apoiado por sua esposa Roseli, tem todo tipo de atrocidade administrativa. Desrespeito aos estatutos, acusações de verbas desviadas, proteção à filiais municipais envolvidas em escândalos, além de dirigentes com extensa ficha criminal… é uma festa!

Para ilustrar um pouco o universo de irregularidades da Filial Estadual do Rio de Janeiro, vejamos sua situação junto ao cartório RCPJ (Os presidentes de filiais estaduais entendem bem do assunto):

Vamos lá. Antes da existência da Filial do Estado, já haviam 06 (seis) filiais municipais, sendo elas:

  • Petrópolis – 86 anos de existência;
  • Barra do Piraí – 75 anos de existência;
  • Volta Redonda – 25 anos de existência
  • Nova Iguaçu – 24 anos de existência;
  • Barra Mansa – 23 anos de existência; e
  • Angra dos Reis – 3 anos de existência.

Pois bem, segundo o Estatuto da Filial Estadual, a admissão de membros para assembleia e conselho, bem como eleição de diretoria, é matéria exclusiva de deliberação do Conselho Diretor Estadual.

Diante desse fato, claro e inegável, as filiais constituiriam o verdadeiro Conselho Diretor Estadual da Cruz Vermelha, uma vez que já existiam bem antes da sua criação em 2006. Não foi o que ocorreu. Os conselheiros que compõe esta filial são pessoas que o então presidente indicou, e sobre as quais detém todo o poder de decisão e manipulação.

É simples verificar, na Ata de fundação da Filial Estadual, não se constata nenhuma presença de representantes das filiais municipais. Esta ATA DE FUNDAÇÃO, E TODOS  ATOS DE FUNDAÇÃO DA FILIAL ESTADUAL foram de autoria exclusiva do Cel Fonseca, já Secretário Geral da Cruz Vermelha Brasileira à época.

Neste cenário, em julho de 2006, o então presidente da Filial Municipal de Barra Mansa, Sr. Carlos Gustavo, buscou a impugnação ao registro da Filial Estadual no RCPJ do Rio de Janeiro.

Em seguida, no mesmo cartório, o Sr Jabes paralisou o processo de autenticação dos documentos da filial RJ.

COMO ESSE QUADRO FOI INVERTIDO? Existiu contorno de ordem jurídica, mas não judicial, sugerindo àquele tabelião, que as testemunhas Hercules e Solange, assinassem termo, no qual se comprometiam que tinha dada publicidade ao ato de criação da CVBRJ para os presidentes das filiais – ou seja, MENTIRAM.

Tal ato, efetivamente não aconteceu, pois os Srs. Tolomelli (Volta Redonda), Richard (Petropolis), Parrini (Barra do Pirai), Carlos Gustavo (Barra Mansa) e Renato Muniz (Nova Iguaçu), não consignaram nenhum ato de criação. Resumidamente? A informação só chegou a quem interessava.

Por fim, tal discussão pode ser válida, entretanto, no campo do processo civil, é provável que esteja precluso o direito de impugnar a ata de criação da CVB-RJ, pois, do transcorrer de mais de 2 anos, que entretanto, pode-se jogar com a incipiência da Assessoria Jurídica daquela filial.

Em breve o BLOG publicará todos documentos relativos a criação da CVB-RJ. Nitroglicerina pura.

Aguardem!!!

CONHEÇA O DR. FERNANDO ANTUNES, UMA DAS PESSOAS COM ALTAS AMBIÇÕES COM A CRUZ VERMELHA

CURRÍCULO de Fernando Antunes – O analista de finanças públicas Fernando Antunes foi um dos principais personagens do escândalo de pagamento de propina por empresários à cúpula do governo do Distrito Federal, inclusive ao governador José Roberto Arruda (DEM), e a vários deputados distritais. Ele fundou e presidiu a União Nacional dos Analistas e Técnicos de Finanças e Controle (Unacon), uma das entidades criadoras da ONG Transparência Brasil.

Quando Antunes entrou para o governo do Distrito Federal, pediu licença da presidência da Unacon e a entidade deixou de integrar a Transparência Brasil. Vídeos gravados pelo ex-secretário de Relações Institucionais do GDF Durval Barbosa, alguns com autorização judicial, mostram a diretora comercial da Unirepro Serviços Tecnológicos, Nerci Soares Bussamra, dizendo que pagava propina a Antunes, então subsecretário de Saúde do governo, pasta então dirigida pelo deputado federal Augusto Carvalho (PPS-DF).

Aprovado em concurso público como auditor da Controladoria Geral da União (CGU) e encarregado de investigar corrupção no serviço público, Antunes tornou-se arrecadador de dinheiro para o PPS, partido que presidia no DF. “ A oportunidade faz o ladrão porque o indivíduo termina se envolvendo nesse tipo de esquema que mostra a vulnerabilidade do setor público”, lamentou Cláudio Weber Abramo, coordenador da Transparência Brasil.

Chefe de Antunes na secretaria de Saúde, o deputado Augusto Carvalho foi um dos fundadores do site Contas Abertas, também especializado em fiscalização do dinheiro público. Criado pelo parlamentar e alguns assessores, a instituição utilizava até o ano passado a senha de Carvalho para entrar no Sistema Integrado de Administração Financeira (Siafi) e vasculhar como é gasto o dinheiro do orçamento federal. O deputado deixou a entidade em agosto do ano passado e o Contas Abertas passou a utilizar as senhas de outros parlamentares. A mesma senha permite acesso dos analistas do Contas Abertas à execução do orçamento do Distrito Federal. Mas o governo Arruda não foi fiscalizado.

Fernando Antunes é implacável. Não perdoa nada. Nem condomínio… foi condenado pelo TJDF, no processo 2004.01.1.021748-5, na Décima Vara Cível, a devolver ao condomínio em que foi síndico por 4 anos, a quantia de R$200.384,70. A prova pericial realizada apurou que “as contas apresentadas contém várias irregularidades”, além de “fortes indícios de fabricação de recibos” e o “efetivo desvio de valores, pagamentos sem comprovação, recebidos de créditos sem a correspondente entrada do valor na conta do condomínio, duplicidade de recibos para justificar falsos pagamentos entre outros. O Juiz de Direito Fabrício Fontoura Bezerra julgou procedente a ação proposta pelo Condomínio da SQN 307 Bloco D e condenou o réu, FERNANDO CLAUDIO ANTUNES ARAUJO, ao pagamento de mais de R$200 mil, além do pagamento dos honorários advocatícios, em razão dos “inúmeros atos processuais praticados, o tempo de tramitação desta ação e do zelo do advogado do autor neste longo período de tramitação da ação”.

Atualmente, Fernando Antunes mira a Presidência Nacional da Cruz Vermelha Brasileira. Fernando esteve envolvido no escândalo das UPAS em Brasília, quando a Cruz Vermelha Brasileira – Filial de Petrópolis invadiu o território da Filial de Brasília, assinou contrato para a gestão das UPAS e… sumiu com o dinheiro. Sempre apoiado pela Filial do Rio de Janeiro e pelo ex Secretário-Geral CEL. Fonseca, Fernando foi o principal artíficie de toda a negociação com o Governo de Goiás, para que a Cruz Vermelha Brasileira assumisse a gestão da Indústria Química do Estado de Goiás, a IQUEGO, que possui um passivo de mais de R$ 58 milhões, e que têm gerado enormes transtornos para a instituição. Quem o trouxe para a Cruz Vermelha Brasileira foi o ex Vice-Presidente Nacional, Anderson Marcelo Choucino, que foi expulso da Diretoria Nacional e responde a diversas acusações de Desvios e Improbidade Administrativa. Definitivamente, gente que quer utilizar a instituição apenas para vantagens pessoais. Gente sem história e sem perfil para a Cruz Vermelha Brasileira. Aliás, os comentários nos bastidores dão conta de que, após um período de desentendimento, Anderson e Fernando estão novamente atuando juntos… Deus nos proteja…

Antunes enxerga na Cruz Vermelha Brasileira uma mina de ouro. Em depoimentos reservados, confidenciou que via na instituição a possibilidade de faturar milhões de reais por ano, com os esquemas e contatos que possui na área de medicamentos. É um sujeito hábil e que trabalha no escuro, nos bastidores. É até possível entender que realmente tenha enganado os dirigentes da Cruz Vermelha Brasileira quando se aproximou… mas atualmente busca poderes e a envergadura para almejar vôos mais altos na gestão da Cruz Vermelha Brasileira, mesmo após a divulgação e o conhecimento da sua reputação pública (mais ou menos a mesma coisa que fez Anderson). Resta saber a reação das pessoas que verdadeiramente entendem o espírito da Cruz Vermelha Brasileira.

E não deve ser subestimado, pois é competente no que faz. Tanto que convenceu o Governo do Estado de Goiás a firmar parceria com a Cruz Vermelha Brasileira. Entre mentiras e falsidades, foi fundamental para enganar a ponto de dizer que a Cruz Vermelha Brasileira vai investir mais de R$ 300 milhões no Estado de Goiás. Doce ilusão.

A Cruz Vermelha Brasileira não tem experiência no setor farmacêutico. E mesmo que tivesse, hoje está imersa em uma dívida superior a R$ 40 milhões. Há anos não paga seus funcionários, fornecedores, impostos… é inadimplente e tem praticamente todo o seu patrimônio penhorado. Situação que vem sendo enfrentada com coragem e transparência pelo atual Presidente Nacional, o Dr. Walmir Moreira Serra. Difícil mesmo é passar pela barreira de interesses podres e políticos que rondam a pobre Cruz Vermelha Brasileira dos dias de hoje.

A saída imaginada por Antunes passa pelo doce matrimônio. Como não pode aparecer (ele tá meio “queimado” pelos vários processos que enfrenta na justiça, por desvio e improbidade administrativa), a solução que encontrou foi alçar sua esposa ao cargo de Presidente da Cruz Vermelha Brasileira – Filial de Goiás. Mas ilegalidades não assustam o Dr. Fernando Antunes. Ele as devora no café da manhã, no almoço e no jantar.

Sua esposa, a Dra. Márgara Cunha, é perfeita para o papel. Aliás, já vinha executando este papel – de laranja – há algum tempo… vejam a notícia abaixo, amplamente publicada no DF:

“A atuação da secretaria de Saúde do Distrito Federal em 2009 foi horripilante. As denúncias contra a gestão de Augusto Carvalho não param de pipocar. O jornalista Cláudio Humberto, um dos mais conhecidos no Brasil, veiculou no dia 27 de novembro de 2009 que foram fotografadas caixas suspeitas em uma casa no Lago Sul. A caixas ainda contavam com adesivos de uma indústria farmacêutica. Em algumas das caixas se pode ver que o conteúdo se assemelha a caixas de remédio. Chamou muita atenção o conteúdo das caixas, especialmente pelo fato de que os enormes caixotes estavam na casa da companheira de Fernando Antunes, braço direito de Augusto Carvalho. Ao jornalista, Fernando Antunes, diz que se tratavam de bonecos de barro, objetos que seriam de colecionador.

A residência é de Margara Raquel, companheira de Fernando Antunes. Ao ser intimada para explicar o fato, estranhíssimo fato, Margara Raquel preferiu tentar atrapalhar o trabalho investigativo do MP e ingressou com um Mandado de Segurança contra Jairo Bisol, promotor titular da 1º PROSUS. Tentou obstar a investigação, mas não conseguiu a liminar. Veja a decisão do Juiz de Direito Fabrício Fontoura:

Circunscrição :1 – BRASÍLIA

Processo :2010.01.1.045402-3

Vara : 210 – DECIMA VARA CÍVEL DE BRASÍLIA

DECISÃO INTERLOCUTÓRIA

Trata-se de mandado de segurança impetrado por MARGARA RAQUEL CUNHA contra ato do Promotor de Justiça de Defesa da Saúde – JAIRO BISOL.

Narra a impetrante que é foi instaurado inquérito civil público nº 08190.035217/10-80 para apurar denúncia anônima de que na residência da impetrante estava sendo estocado medicamentos da Secretaria de Saúde, ou seja, de que havia bens (medicamentos) da Secretaria de Saúde na garagem da casa da impetrante, e como se trata de denúncia anômina, todo o procedimento investigatório é nulo, conforme entendimento narrado.

Decido.

A questão atinente à competência para processar e julgar a ação em foco é assaz tormentosa, contudo o Tribunal de Justiça do Distrito Federal e Territórios tem pontificado que o órgão competente é uma Vara Cível, matéria normalmente objeto de recurso por parte do Ministério Público do DF, na oportunidade certa.

No mais, diante de tal quadro fático apresentado, tenho que não há como deferir a medida liminar buscada, eis que se trata de procedimento investigatório, não se podendo falar em danos de difícil reparação à impetrante, ainda que em caráter excepcional, especialmente porque tem autoridade coatora competência para instaurar Inquérito Civil Público, sem natureza jurisdicional, oportunidade em que a impetrante poderá inclusive, apontar eventuais nulidades do procedimento.

Frise-se que a decisão é eminentemente provisória, bem como com a decisão final acerca da competência para dirimir a controvérsia.

Desse modo, indefiro a tutela de urgência perseguida.

Notifique-se a ilustre autoridade coatora do conteúdo da petição inicial, para que no prazo de 10 (dez) dias preste as informações.

Dê-se ciência ao Distrito Federal do presente wrint.

Após a apresentação das informações, intime-se o Ministério Público, na forma do artigo 12 da Lei 12.016/09.

Intimem-se, comunique-se e cumpra-se.

As imagens que Cláudio Humberto veiculou no dia 27 de novembro de 2010 foram cedidas ao MPDFT pelos jornalista e podem dar muita dor de cabeça aos integrantes do PPS.

Margara Raquel Cunha sempre rondou a saúde pública e é filiada ao PPS. Confira os seguintes endereços da internet:

http://www.saude.df.gov.br/003/00301009.asp?ttCD_CHAVE=24045

http://www.unieuro.edu.br/downloads_2009/Direito_asa_norte.pdf

Margara Raquel ainda efetuou substanciosa doação na eleição de 2006 ao candidato Augusto Silveira Carvalho.

http://www.asclaras.org.br/2006/candidato.php?CACodigo=5924&rs=true

A partir de agora, ela poderá colocar em seu currículo a atuação como voluntária da Cruz Vermelha Brasileira, aliás apenas Voluntária não; Presidente Voluntária de uma filial ilegal, com projeto de R$ 300 milhões antes mesmo de existir… e na faixa… afinal, o cargo de presidente não é remunerado, conforme manda o Estatuto Social. E todo mundo realmente acredita que ela realmente não receberá nada em troca de mudar sua vida de Brasília para Goiás. É por puro amor à Cruz Vermelha…

Ecos de corrupção…

Triste.

Muito triste.

A Cruz Vermelha Brasileira vêm tentando redefinir seu curso administrativo. Vencer um passado com erros públicos e com mazelas e amadorismos internos. Conseguiu avanços.

Quem se dedica a esta tarefa hercúlea é o Dr. Walmir Moreira Serra.

Romper com o passado, assumir erros, promover mudanças… todas estas situações geram reações. Incomodam quem estava tranquilo, se locupretando em benefícios pessoais.

O mais novo foco de rebelião, de tentar enlamear todos os avanços, criando novamente uma nuvem de desconfiança, parte de um segmento da Filial Estadual do Rio de Janeiro.

O print da tela da Polícia Civil apresentada abaixo pertence ao escolhido pela nova rebelião para liderar a desconstrução dos avanços recentes.

Na recente convocação encaminhada aos conselheiros da CVB, dos que assinaram, a maioria reside no Rio e foram indicados pela CVBRJ.

Mais uma vez, a atual diretoria nacional vive uma tentativa de golpe. É o preço pago por tentar moralizar a instituição.
Recomendamos que todos acessem as informações dos envolvidos em cartórios e no site do CNJ.

Abaixo a listagem de processos onde o mesmo cidadão citado acima figura como Réu (rolem bastante pra baixo, a listagem é longa):

CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO DE JANEIRO

 

1988.001.075978-1
Autor: HELIO JORGE DA CRUZ MATTOS
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
1992.001.029848-2
Autor: CELSO MIRANDA SALGUEIRO JUNIOR
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
 
1992.001.029848-2A
Agravante: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
Agravado: CELSO MIRANDA SALGUEIRO JUNIOR
1997.001.113043-7
Autor: CARLOS HENRIQUE CRISTALDO AZUAGA
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
1989.001.131650-9
Autor: HELIO JORGE DA CRUZ MATTOS
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS E OUTRA
1996.001.136826-9
Autor: JOSE FERNANDES DE AZEVEDO NETO
Réu: ADENOR GONCALVES SANTOS
1988.001.109468-7
Autor: PARK IMOBILIARIO LTDA
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
 
1988.001.143364-0
Autor: PINTO DE ALMEIDA ENGENHARIA LTDA
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
 
1988.001.141768-3
Autor: RIO PLAN ADMINISTRADORA DE CONSORCIO S/C LTDA
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SATOS
1989.001.021912-0
Autor: FRANCA AUTO CENTER LTDA
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
1989.001.080928-2
Autor: RIO PLAN ADMINISTRADORA DE CONSORCIOS S/C LTDA
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
1996.001.008946-4
Autor: ITAVEMA RIO VEICULOS E PECAS LTDA
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
 
1995.001.096526-2
Autor: MIRAI MOTORS LTDA
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
1989.001.037657-2
Autor: BANCO BRADESCO S/A
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
1995.001.071889-1
Autor: CITIBANK N A
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
 
1995.001.089699-9
Autor: BANCO ITAU S.A.
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
2000.001.013365-2
Autor: BANCO FRANCES E BRASILEIRO S/A.
Réu: ADENOR GONCALVES SANTOS
2002.001.134797-4
Autor: BANCO BRADESCO S/A
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
1989.001.090400-0
Autor: INDUSTRIA E COMERCIO DE MOVEIS SAN MARINO LTDA
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
2000.001.007151-8
Autor: REAL ADMINISTRADORA DE CARTOES E SERVICOS LTDA
Réu: ADENOR GONCALVES SANTOS
 
1989.001.035771-1
Autor: CREDICARD S/A
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
1989.001.048584-1
Autor: CREDICARD S/A
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
1989.001.034954-4
Autor: RHODES VIAGENS E TURISMO LTDA
Réu: ADENOR GONCALVES SANTOS
 
1996.001.136829-4
Autor: GARAGE BARAO DE SAO FELIX LTDA;
Réu: ADENOR GONCALVES SANTOS
2000.001.023394-4
Autor: COMPANHIA LIGNA DE DISTRIBUICAO
Réu: ADENOR GONCALVES SANTOS
2000.001.034805-0
Autor: SCHALOM GRIMBERG
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
2001.001.007629-4
Autor: SCHALOM GRIMBERG e outro(s)…
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
2006.001.127191-7
Autor: TVM PRODUCOES LTDA
Representante Legal: ADENOR GONCALVES SANTOS
2006.001.127191-7A
Impugnante: ESPOLIO DE EDSON CORREA DOMINGUES
Representante Legal: ADENOR GONCALVES SANTOS

 

DÍVIDA ATIVA

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO DE JANEIRO1994.120.008700-7
Exequente: MUNICIPIO DO RIO DE JANEIRO
Executado: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
2003.120.054649-5
Exequente: MUNICIPIO DO RIO DE JANEIRO
Executado: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
2005.120.051787-6
Exequente: MUNICIPIO DO RIO DE JANEIRO
Executado: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
2008.001.222087-0
Exequente: MUNICIPIO DE RIO DE JANEIRO
Executado: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
 

EMPRESARIAL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO DE JANEIRO

 

1990.001.062475-7
Autor: RHODES VIAGENS E TURISMO LTDA
Réu: ADENOR GONCALVES SANTOS

 

 

CRIMINAL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DO RIO DE JANEIRO1988.001.054984-1
Autor: J.P.
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
1996.001.085346-2
Autor: MINISTERIO PUBLICO
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
1994.001.106325-9
Autor: MINISTERIO PUBLICO
Réu: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS E OUTROS e outro(s)…

CÍVEL

TRIBUNAL DE JUSTIÇA DA BAHIA

 

 

Número do Processo 14099667245-1
Tipo Ação CARTA PRECATORIA

Partes

Órgão Judicial 4ª VARA CÍVEL
REU – ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
AUTOR – BANCO ITAU SA
Comarca SALVADOR
Data de Entrada 02/03/1999

CRIMINAL

Número do Processo 14099685857-1
Tipo Ação INQUERITO Órgão Judicial 3ª VARA CRIME
Comarca SALVADOR Data Entrada 01/06/1999
Localização Processos Apensos

Partes

Advogados

ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
Qualificação: REU
MOTEL DEL REY
Qualificação: VÍTIMA

ESFERAS CÍVEIS E CRIMINAIS

JUSTIÇA FEDERAL DO RIO DE JANEIRO

 

2000.51.01.028357-0 4002 – EXECUÇÃO POR TÍTULO EXTRAJUDICIAL

Autuado em 23/10/2000  –  Consulta Realizada em 03/12/2008 às 00:04

AUTOR   : PINTO DE ALMEIDA ENGENHARIA LTDA

ADVOGADO: JOSE GARCIA MENEZES JUNIOR

REU     : ADENOR GONCALVES DOS SANTOS

ADVOGADO: MARCO ANTONIO NOSSAR

11ª Vara Federal do Rio de Janeiro – JOSE ANTONIO LISBOA NEIVA

Juiz  – Despacho: SILVIO WANDERLEY DO NASCIMENTO LIMA

Valor da Causa: 1.986.507,00

Data: 08/12/1988

CRIMINAL FEDERAL

91.0102675-5 26003 – INQUÉRITO POLICIAL

Autuado em 04/11/1991  –  Consulta Realizada em 03/12/2008 às 00:05

AUTOR   : JUSTICA PUBLICA

ADVOGADO: SEM ADVOGADO E OUTRO

REU     : ADENOR GONCALVES DOS SANTOS

ADVOGADO: SEM ADVOGADO E OUTRO

02ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro

Juiz  – Despacho: EDWARD CARLYLE SILVA

Redistribuição por Dependência  em 05/06/2000 para 02ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro

91.0102676-3 26003 – INQUÉRITO POLICIAL

Autuado em 04/11/1991  –  Consulta Realizada em 03/12/2008 às 00:06

AUTOR   : JUSTICA PUBLICA

ADVOGADO: SEM ADVOGADO

REU     : ADENOR GONCALVES DOS SANTOS

ADVOGADO: SEM ADVOGADO

02ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro

Juiz  – Despacho: ALCIR LUIZ LOPES COELHO

94.0040814-5 28001 – PRECATÓRIA (MATERIA PENAL)

Autuado em 11/10/1994  –  Consulta Realizada em 03/12/2008 às 00:07

AUTOR   : MINISTERIO PUBLICO FEDERAL

ADVOGADO: SEM ADVOGADO

REU     : ADENOR GONCALVES DOS SANTOS E OUTRO

ADVOGADO: SEM ADVOGADO E OUTRO

02ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro

Juiz  – Informação de Secretaria: ALCIDES MARTINS RIBEIRO FILHO

98.0049883-4 28001 – PRECATÓRIA (MATERIA PENAL)

Autuado em 21/08/1998  –  Consulta Realizada em 03/12/2008 às 00:07

AUTOR   : MINISTERIO PUBLICO FEDERAL

ADVOGADO: SEM ADVOGADO

REU     : ADENOR GONCALVES DOS SANTOS E OUTRO

ADVOGADO: SEM ADVOGADO

02ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro

Juiz  – Informação de Secretaria: ALEXANDRE LIBONATI DE ABREU

96.0067757-3 28001 – PRECATÓRIA (MATERIA PENAL)

Autuado em 29/10/1996  –  Consulta Realizada em 03/12/2008 às 00:07

AUTOR     : MINISTERIO PUBLICO FEDERAL

PROCURADOR: ARTUR DE BRITO GUEIROS SOUZA

REU       : ADENOR GONCALVES DOS SANTOS

ADVOGADO  : SEM ADVOGADO

08ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro

Juiz  – Informação de Secretaria: ALCIDES MARTINS RIBEIRO FILHO

Redistribuição  em 26/03/1999 para 08ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro

98.0049883-4 2

8001 – PRECATÓRIA (MATERIA PENAL)

Autuado em 21/08/1998  –  Consulta Realizada em 02/12/2008 às 23:56

AUTOR   : MINISTERIO PUBLICO FEDERAL

ADVOGADO: SEM ADVOGADO

REU     : ADENOR GONCALVES DOS SANTOS E OUTRO

ADVOGADO: SEM ADVOGADO

02ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro

Juiz  – Despacho: ALEXANDRE LIBONATI DE ABREU

2003.51.01.513500-6

26003 – INQUÉRITO POLICIAL

Autuado em 05/08/2003  –  Consulta Realizada em 02/12/2008 às 23:58

AUTOR   : JUSTICA PUBLICA

ADVOGADO: SEM ADVOGADO

REU     : APURAR RESP/ EM CRIME PREVISTO NO ART/ 288 CPB E LEI 9613/98

ADVOGADO: SEM ADVOGADO

03ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro – LAFREDO LISBOA VIEIRA LOPES

Juiz  – Decisão: LAFREDO LISBOA VIEIRA LOPES

Distribuição por Dependência  em 14/05/2004 para 03ª Vara Federal Criminal do RJ

Objetos: LAVAGEM DE DINHEIRO

2005.51.01.517479-3

 24001 – INCIDENTE DE RESTITUIÇÃO DE COISAS APREENDIDAS

Autuado em 01/09/2005  –  Consulta Realizada em 02/12/2008 às 23:58

AUTOR   : ADENOR GONCALVES DOS SANTOS

ADVOGADO: CLAUDIA CAMPOS DE SOUZA

REU     : JUSTICA PUBLICA

03ª Vara Federal Criminal do Rio de Janeiro – LAFREDO LISBOA VIEIRA LOPES

Juiz  – Sentença: LAFREDO LISBOA VIEIRA LOPES

Objetos: CONCUSSAO, CORRUPCAO ATIVA OU PASSIVA

INCIDENTE DE RESTITUIÇÃO DE COISAS APREENDIDAS

Processo Dependente 200251015105897

INCIDENTE DE RESTITUIÇÃO DE COISAS APREENDIDAS

Processo Dependente 200251015150090

INCIDENTE DE RESTITUIÇÃO DE COISAS APREENDIDAS

Processo Dependente 200351015000101

HABEAS CORPUS

Processo Dependente 200351015054365

INCIDENTE DE RESTITUIÇÃO DE COISAS APREENDIDAS

Processo Dependente 200351015130033

INCIDENTE DE RESTITUIÇÃO DE COISAS APREENDIDAS

Processo Dependente 200351015135006

INQUÉRITO POLICIAL

Processo Dependente 200551015174793

 

 

 

EXISTÊNCIA DE 02 (DUAS) INSCRIÇÕES DE CPF/MF

Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral no CPF

No do CPF: 003.422.157-36
Nome da Pessoa Física: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
Situação Cadastral: REGULAR

Comprovante de Inscrição e de Situação Cadastral no CPF

No do CPF: 018.069.707-24
Nome da Pessoa Física: ADENOR GONCALVES DOS SANTOS
Situação Cadastral: REGULAR